Notícias

  • HORÁRIO PARA DORMIR MELHORA O SONO DOS PEQUENOS
    04/07/2013 - 10:54

    Um novo estudo mostra que ter uma rotina, com horário fixo, para a criança ir à cama contribui para um bom sono e em melhoras no humor. Além disso, o humor materno também melhora.

    De acordo com a pesquisa, problemas no sono são alguns dos principais desafios que os pais de crianças mais novas sofrem. Também foi descoberto que entre 20 e 30% das crianças possuem problemas para dormir.

    Estudos anteriores mostraram que o sono dos pais é afetado por estes distúrbios dos filhos; quando uma criança não dorme bem, seus pais também não têm uma noite satisfatória de sono e passam por mudanças de humor, podendo sofrer de estresse.

    Jodi Mindell, PhD, professora de psicologia da Universidade Saint Joseph´s, da Filadélfia (Pensilvânia – Estados Unidos), autora do livro "Sleeping through the Night" e coordenadora dos estudos, afirma que se o sono da criança for tranquilo, o sono de sua mãe também será, e a qualidade de vida dos dois irá melhorar. "Criar uma rotina de sono é fácil e pode causar uma melhora significativa na vida da família" explica. "A mãe não se sentirá tensa, depressiva e cansada e ficará mais calma, o que também ajudará no humor da criança. A mãe fica calma na hora de colocar o filho para dormir e a criança cai no sono mais facilmente" detalha Mindell.

    Os estudos mostram que rotinas, em geral, tornam a vida mais simples e menos estressante, principalmente para as crianças.

    Os autores da pesquisa ficaram surpresos ao constatarem que a duração do sono aumenta quando ele é "inteiro". As pessoas dormem menos quando acordam de noite, não dormem até mais tarde, como antes se acreditava. Além disso, a qualidade do sono melhora muito quando ele não é fragmentado.

     

    Na prática

    Sempre que a criança acordar á noite chorando e/ou chamando os pais, evite dar muita atenção. Vá até o quarto e a tranquilize, de preferência sem acender a luz. Não brinque ou realize todos os pedidos que ouvir. Ela tem que saber que a noite é hora para dormir e que não terá a atenção dos pais nessa hora.

    Evite deixar que a criança assista TV ou se agite antes de dormir. Crie um ritual onde o ambiente da casa vá se acalmando os poucos até que chegue a hora de colocar o pijama, escovar os dentes, contar uma história ou cantar uma canção de ninar e dormir. Os pais em sintonia com o seu filho farão a programação diária. Um banho morno antes de dormir ou uma massagem só com a luz de uma vela são ótimas sugestões.

     

    Dicas

    Toda regra tem exceção. Se o seu pequeno estiver doente não tem problema que fique perto de você. Mas sempre o lembre de que isso não será para sempre;

    Se há o medo de separação, nada como um amiguinho para lhe fazer companhia durante o sono, seja um ursinho ou uma boneca para a criança se sentir mais segura;

    Se houver alguma mudança na rotina da criança durante o dia isso pode interferir no sono da criança durante a noite. Continue com as regras e seja sempre coerente. Assim que a rotina entrar nos eixos, o sono voltará a ser tranquilo.

     

    Fontes:

    http://guiadobebe.uol.com.br/

    http://www.apparenza.com.br

    http://hypescience.com/

     

    ..............................++



  • Exame de PSA – um aliado na prevenção do câncer de próstata
    25/05/2013 - 19:00

    A criação da Política Nacional de Saúde do Homem (2009) nasceu da necessidade gritante de mudar o fato de que os homens, de um modo geral, não dão a devida atenção à saúde, tendo muito menos hábitos saudáveis do que as mulheres. Dados mostram que 18% dos homens não praticam nenhum tipo de atividade física e 43% comem carne com excesso de gordura. Esses hábitos combinados são responsáveis por 18% das doenças cardiovasculares e 56% das doenças isquêmicas do coração, que são a primeira causa de morte entre os homens.

    Porém, segundo o Ministério da Saúde, os brasileiros estão mais ativos na busca pela prevenção do câncer de próstata. Entre 2003 e 2009, o número de testes para detectar alterações na próstata triplicou. E esse número vem crescendo. Só os testes de PSA aumentaram de 1 milhão para 3 milhões ao ano.

    O câncer de próstata pode ser diagnosticado pela elevação do PSA (Antígeno Prostático Específico). Uma substância produzida pela próstata, mais especificamente pelo epitélio prostático, que tem como função liquefazer o coágulo seminal. Para a análise precisa do médico por meio do ritmo de aumento do PSA é necessário que o paciente tenha um histórico de exames, ou seja, medições periódicas semestrais ou anuais realizadas ininterruptamente. Introduzido em 1992 na medicina, esta forma de equação calcula o índice de aumento do nível de PSA no sangue a partir de três dosagens, num período entre 19 e 24 meses.

    Atualmente, o câncer de próstata é o terceiro tumor maligno mais diagnosticado no Brasil e o quinto que mais leva ao óbito. Segundo os dados do Instituto Nacional do Câncer, durante o decorrer do ano serão diagnosticados em torno de 14.800 casos e ocorrerão mais de 6.800 mortes devidas ao câncer de próstata no país. Estes dados indicam a elevada prevalência desse tipo de câncer e a necessidade de rastreamento da doença em homens assintomáticos (que não apresentam aparentemente sintomas da doença), oferecendo um melhor prognóstico dos casos identificados precocemente.

    Principais sintomas que podem indicar problemas prostáticos:

    - Jato urinário fraco;

    - Dificuldade para começar a urinar;

    - Urinar frequentemente durante todo o dia, atrapalhando inclusive o sono;

    - Urgência para urinar;

    - Sensação de bexiga cheia após urinar;

    - Interrupção do jato urinário;

    - Dor ou queimação ao urinar;

    - Sangue na urina.

    Pouco se conhece a respeito das causas do câncer de próstata. No entanto, sabe-se que com o avanço da idade, a presença da testosterona no sangue e uma dieta rica em gordura animal são fatores de risco que aceleram o seu desenvolvimento. Além disso, a carga genética exerce influência marcante. O risco de câncer da próstata aumenta 1,5 vezes quando um parente de primeiro grau (pai ou irmão) tem ou teve o tumor e 5 vezes quando são acometidos dois parentes de primeiro grau.

    O câncer de próstata raramente é visto em homens com menos de 45 anos. Porém, sua incidência aumenta com o passar do tempo. Costuma se manifestar nos indivíduos com idade entre 50 e 80 anos, quando são registrados 60% dos diagnósticos. Chega a atingir 21% dos casos de tumor nessa faixa de idade, sendo que a cada ano são registrados 22 novos casos a cada grupo de 100.000 habitantes.

    Sob o ponto de vista clínico, os tumores podem ser identificados em fase inicial por meio do toque digital, dosagem do PSA sanguíneo e ultra-som transretal da próstata. Este último é indicado apenas nos casos duvidosos ou na orientação da biópsia transretal. Deve-se levar em consideração que níveis de PSA pouco acima dos limites normais não indicam necessariamente câncer de próstata. Infecções prostáticas, por exemplo, podem ocasionar aumento súbito do PSA que, com tratamento antibiótico, regride rapidamente. Pacientes com Hiperplasia Benigna da Próstata também podem apresentar elevações dos níveis de PSA, bem como aqueles que sofreram manipulações agressivas da próstata, tais como biópsias ou cirurgias locais.

    As estatísticas médicas têm demonstrado que a realização conjunta de toque digital e de dosagem sanguínea do PSA constitui a melhor forma para se diagnosticar o câncer de próstata. Em relação às dosagens do PSA, os riscos de câncer de próstata são reduzidos quando seus valores sanguíneos encontram-se entre 0 e 4 ng/ml (nanograma por mililitro).  Por outro lado, quando esses valores são maiores do que 10 ng/ml, a chance de existir câncer na próstata é da ordem de 55%, o que pode justificar a realização da biópsia prostática neste grupo de pacientes.

    Sob o ponto de vista clínico, a situação se torna mais complexa quando o exame constata níveis sanguíneos de PSA entre 4 e 10 ng/ml. Nestes casos, o risco de câncer de próstata é de, em média, 25%; número que não pode ser menosprezado. Contudo, as biópsias realizadas nesses casos normalmente possuem resultado negativo em 75% a 80% dos casos.

    Você precisa saber:

    - O diagnóstico do câncer de próstata no estágio inicial da doença possibilita um tratamento eficaz, prevenindo as complicações. Nessa fase, há um grande percentual de cura mediante radioterapia ou cirurgia, além da maior eficiência de outras formas de controle. É o caso dos pacientes que realizam o “check up” anual e detectam a doença precocemente;

    - A partir dos 50 anos, todo homem deve procurar anualmente um médico urologista para fazer uma avaliação clínica da próstata, ainda que esteja se sentindo bem e não tenha histórico de câncer na família. Essa avaliação consiste no toque digital  (pela proximidade da próstata com o reto), um exame indolor  que permite ao médico identificar também outras lesões na região, tais como tumores localizados na porção terminal do intestino grosso.  A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que nessa faixa etária, todo homem realize, também, um exame de sangue para dosar o Antígeno Prostático Específico (PSA);

    - Para homens com caso de câncer de próstata na família, a prevenção deve começar mais cedo, aos 40 anos de idade, devendo incluir o Toque Digital e a Dosagem de PSA no sangue, anualmente. O mesmo vale para homens da raça negra, que possuem maior incidência de câncer de próstata;

    - Os sintomas desse tipo de doença aparecem muito tardiamente. Ou seja, quando a neoplasia atinge a cápsula prostática. Suas características, como dor e dificuldade para urinar, são causadas pelo aumento do volume da próstata;

    É importante ressaltar que todas as informações contidas nesta matéria têm o objetivo de enriquecer o conhecimento do leitor, mas não substituem as orientações dos profissionais da saúde que acompanham cada caso especificamente. Para maiores esclarecimentos, procure seu médico de confiança ou os profissionais do Laboratório Multianálises.

    ..............................++



  • PARA UMA VIDA MELHOR
    04/04/2013 - 14:52

    As universidades de Harvard (EUA) e Cambridge (Reino Unido) publicaram recentemente um compêndio com 20 conselhos saudáveis para melhorar a qualidade de vida de forma prática e habitual:

    1 - consumir um copo de suco de laranja diariamente para aumentar o ferro e repor a vitamina C;

    2 - salpicar canela no café ajuda a manter baixo o colesterol e estáveis os níveis de açúcar no sangue;

    3 - trocar o pãozinho tradicional pelo pão integral que tem quase 4 vezes mais fibra, 3 vezes mais zinco e quase 2 vezes mais ferro que o pão branco;

    4 - mastigar os vegetais por mais tempo. Isto aumenta a quantidade de químicos anticancerígenos liberados no corpo. Mastigar também libera sinigrina, que é um sal potássico que tem demonstrado oferecer proteção contra alguns tipos de câncer. E vale lembrar que quanto menos se cozinham os vegetais, melhor efeito preventivo eles têm;

    5 - adotar a regra dos 80% - servir-se menos 20% da comida que iria ingerir evita transtornos gastrintestinais, prolonga a vida e reduz o risco de diabetes e ataques do coração;

    6 - o futuro está na laranja, que tem, entre outros benefícios, reduzir em 30% o risco de câncer de pulmão;

    7 - fazer refeições coloridas como o arco-íris. Comer uma variedade de vermelho, laranja, amarelo, verde, roxo e branco em frutas e vegetais, cria uma melhor mistura de antioxidantes, vitaminas e minerais;

    8 - comer pizza. Mas escolha as de massa fininha. O Licopene, um antioxidante dos tomates, pode inibir e ainda reverter o crescimento de tumores; o Licopene é melhor absorvido pelo corpo quando os tomates estão em molhos para massas ou para pizza;

    9 - limpar sua escova de dentes e trocá-la regularmente. As escovas podem espalhar gripes, resfriados e germes nocivos à saúde. Por isso, é recomendado lavá-las com água quente pelo menos quatro vezes por semana. No caso de uma pessoa doente, sua escova deve ser mantida separada das demais;

    10 - realizar atividades que estimulem a mente e fortaleçam sua memória. Faça alguns testes ou quebra-cabeças, palavras-cruzadas, aprenda um idioma, alguma habilidade nova. Leia e procure memorizar parágrafos;

    11 - usar fio dental e evitar gomas de marcar. Acredite ou não, testes já demonstraram que pessoas que mastigam chicletes têm mais possibilidade de sofrer de arteriosclerose, pois tem os vasos sanguíneos mais estreitos, o que pode preceder um ataque do coração. Usar fio dental pode acrescentar seis anos a sua idade biológica porque remove as bactérias que atacam os dentes e, consequentemente, o corpo;

    12 - rir. Uma boa gargalhada é um pequeno exercício físico. 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida. Reduz o estresse e motiva células naturais de defesa;

    13 - não descascar antecipadamente. Os vegetais ou frutas, sempre frescos, devem ser cortados e descascados na hora em que serão consumidos. Isso aumenta os níveis de nutrientes contra o câncer;

    14 – entrar em contato com pais e outros entes queridos regularmente. Um estudo da Faculdade de Medicina de Harvard concluiu que 91% das pessoas que não mantém um laço afetivo com essas pessoas, especialmente com a mãe, tendem a desenvolver pressão alta, alcoolismo ou doenças cardíacas precocemente;

    15 - desfrutar de uma xícara de chá. O chá verde possui mais antioxidantes que o comum, e beber uma xícara diariamente desta bebida diminui o risco de doenças coronárias. Cientistas israelenses também concluíram que beber chá aumenta a sobrevida depois de ataques do coração;

    16 - ter um animal de estimação. As pessoas que não têm animais domésticos sofrem mais de estresse e visitam o médico com mais regularidade, dizem os cientistas da Cambridge University. As mascotes incentivam o otimismo, deixam a pessoa mais descontraída e isso ajuda a baixar a pressão arterial. Os cães são os mais indicados, mas até um peixinho pode provocar um bom resultado;

    17 - colocar tomate ou verduras frescas no sanduíche. Uma porção de tomate por dia baixa o risco de doença coronária em 30%, segundo cientistas da Harvard Medical School;

    18 - reorganizar a geladeira. As verduras em qualquer lugar de sua geladeira perdem substâncias importantes já que a luz artificial do equipamento destrói os flavonóides que combatem o câncer. Por isso, é melhor usar a área reservada a ela na parte inferior.

    19 - comer como um passarinho. A semente de girassol e as sementes de sésamo nas saladas e cereais são nutritivas e antioxidantes. Nozes entre as refeições ajudam a reduzir o risco de diabetes;

    20 - e, por último, um mix de pequenas dicas para alongar a vida:

    - comer chocolate. Duas barras por semana podem estender a vida em um ano. O amargo é fonte de ferro, magnésio e potássio;

    - pensar positivamente. Pessoas otimistas podem viver até 12 anos mais que os pessimistas, que também tendem a adoecer mais facilmente;

    - ser sociável. Pessoas com fortes laços sociais e atuantes em redes de amizades têm vida mais saudável que os indivíduos solitários ou que só têm contato com a família. Importante destacar que essas redes são de contato pessoal, não redes virtuais que não apresentam o mesmo resultado;

    - conhecer a si mesmo. Aqueles que priorizam o “ser” sobre o “ter” tendem a aumentar sua expectativa de vida.

    ..............................++



Páginas